Texto Maior
Texto Maior
Texto Maior
Texto Menor
Texto Menor
Texto Normal
Texto Normal
Contraste
Contraste
Libras
Libras
Vlibras

O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Acesso à informação
Acesso à informação

Agudos, sexta-feira, 01 de julho de 2022 Telefone (14) 3262-8500

Atendimento Atendimento: De segunda-feira a sexta-feira, das 08h às 17h.

Quin
30/06
Predomínio de Sol
Máx 25 °C
Min 13 °C
Índice UV
5.0
Sext
01/07
Predomínio de Sol
Máx 26 °C
Min 13 °C
Índice UV
5.0
Sáb
02/07
Predomínio de Sol
Máx 29 °C
Min 16 °C
Índice UV
5.0
Domi
03/07
Predomínio de Sol
Máx 28 °C
Min 17 °C
Índice UV
5.0

Cultura - Terça-feira, 15 de Agosto de 2017

Buscar Notícia

Notícias por Categoria

Prefeitura de Agudos promove Teatro Gratuito no dia 26 de agosto, no auditório da Legião Mirim

Os convites para o espetáculo devem ser retirados na Secretaria de Educação e Cultura, na Avenida Faustino Ribeiro, 231


Prefeitura de Agudos promove Teatro Gratuito no dia 26 de agosto, no auditório da Legião Mirim

O espetáculo “O tempo é só uma questão de cor” será apresentado no dia 26 de agosto, no auditório da Legião Mirim,  Avenida Joaquim Ferreira Souto, 937, às 20h, com entrada gratuita. Os convites para o teatro devem ser retirados na Secretaria de Educação e Cultura, na Avenida Faustino Ribeiro, 231.

A peça tem a duração de 70 minutos e não é recomendada para menores de 14 anos. O ator Mauricio Silveira apresenta ao público contos, crônicas e fragmentos de textos de Caio Fernando Abreu. As histórias e situações levadas para cena abordam temas como o amor, as dificuldades dos relacionamentos afetivos em suas diversas formas, a falta de comunicação entre as pessoas e a solidão do homem contemporâneo. Textos que traduzem com emoção, humor e reflexão o universo do escritor que foi e ainda é um dos autores mais apreciado e consumido, não só através de seus livros como também através de sites e blogs, que habitam o mundo virtual, principalmente pelas novas gerações que “descobriram” a prosa, o pensamento e a crítica de Caio Fernando Abreu, com o qual se identificam totalmente.

A pesquisa, seleção dos textos e dramaturgia final foi realizada pelo diretor do espetáculo Antonio Gilberto, que com a parceria do ator Mauricio Silveira, mergulhou no universo de Caio trazendo para o público temas e situações de uma literatura viva, emocionante , instigante, atual, que nos convida a uma reflexão sobre a nossa existência nesses difíceis tempos que vivemos. Mas Caio nos lembra que o “tempo é só uma questão de cor” e que não podemos morrer em vida, não podemos desistir de amar, de criar, de viver...

Com este trabalho o diretor Antonio Gilberto dá continuidade a sua pesquisa trazendo novamente para a cena textos literários (sem adaptação teatral) que são apresentados ao público, através da atuação de um único ator, como narrativas (realizadas por um “narrador” ou por um “personagem”) e também como dramatizações (de situações e conflitos criados pelos personagens). Os textos reunidos são de obras distintas e independentes, mas a partir da dramaturgia realizada, da concepção do espetáculo e da atuação de Maurício Silveira, podemos supor que formam uma única história. História que termina com um diálogo do ator/narrador/personagem com os espectadores.

 

Sobre o Autor

Caio Fernando Abreu (Santiago do Boqueirão, RS, 1948 - Porto Alegre, RS, 1996). Contista, romancista, dramaturgo, jornalista. Muda-se para Porto Alegre, em 1963. Publica seu primeiro conto, O Príncipe Sapo, na revista Cláudia, em 1963. A partir de 1964 cursa Letras e Arte Dramática na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mas abandona ambos os cursos para dedicar-se ao jornalismo. Transfere-se para São Paulo em 1968, após ser selecionado, em concurso nacional, para compor a primeira redação da revista Veja. Seu talento de escritor foi logo reconhecido com o prêmio da União Brasileira de Escritores a seu primeiro livro de contos, Inventário do ir-remediável (1970).

Na década de 70 morou no Rio de Janeiro, em Estocolmo e em Londres. Voltou a São Paulo em 1981, onde atuou como jornalista, escritor e editor de livros.

Escreveu as seguintes obras: Inventário do Irremediável (1970), O Limite Branco (1971), O Ovo Apunhalado (1975), Pedras de Calcutá (1977), Morangos Mofados (1982), Triângulo das Águas (1983), As Frangas (1988), Os Dragões não conhecem o Paraíso (1988), Onde andará Dulce Veiga (1990), Ovelhas Negras (1995) e Pequenas Epifanias (1996).

Por seu trabalho literário, recebeu os prêmios Fernando Chinaglia (1970), Status (1980), Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro (em 1984 e 1989), e seus textos foram traduzidos para diversas línguas.

 

Sobre o Diretor

Antonio Gilberto, diretor, pesquisador e produtor teatral, formou-se em Artes Cênicas/Direção Teatral na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e em Psicologia na PUC/RS.

Estreou profissionalmente em 1984 , na cidade do Rio de Janeiro, como Assistente de Direção de Domingos Oliveira no espetáculo "Irresistível Aventura", produzido e protagonizado pela atriz Dina Sfat. Realizou a produção executiva da excursão nacional dos espetáculos "Irresistível Aventura", "De Braços Abertos", "Meno Male!", "Uma Relação Tão Delicada", “Desejo”, "Apareceu a Margarida" e "A Dama do Cerrado". Idealizou e foi curador de vários Ciclos de Leituras e Simpósios nacionais e internacionais sobre a vida e a obra de autores como Goethe, Schiller, Gogol, Dostoiévski, Tolstói e Nelson Rodrigues.

Dos espetáculos que dirigiu destacam-se: "Cabaret Valentin", "Como Se Fosse a Chuva" (Prêmio IBEU de Melhor Diretor de 1997), "Credores", "Werther", "Um Brinde Ao Teatro" (espetáculo que inaugurou a Caixa Cultural no RJ), "Federico García Lorca - Pequeno Poema Infinito", "Contando Machado de Assis", "Maria Stuart", "A Esposa e a Noiva" e “Carta ao Pai” (Apresentado em 2015 no FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica na cidade do Porto/Portugal).

Publicou pela Coleção Aplauso/Imprensa Oficial/SP, as fotobiografias "Dina Sfat- Retratos de uma guerreira", Ítalo Rossi, Isso é Tudo" e "Ziembinski, Mestre do Palco", e o roteiro teatral "Federico García Lorca - Pequeno Poema Infinito", em parceria com José Mauro Brant. Como gestor cultural foi diretor do Centro de Artes Cênicas da Funarte/MinC no período de 2003 a 2006 e 2011 a 2014.

 

Sobre o Ator

Mauricio Silveira, nascido na cidade do Rio de Janeiro, em 1977, formado pela Faculdade de Publicidade e propaganda UNAERP (Universidade de Ribeirão Preto) e como ator pela CAL (Casa das Artes de Laranjeiras).

No teatro participou dos seguintes trabalhos:

Os Meninos da Rua Paulo (2001/ (Texto: Ferenc Molnár /Dir.: Francis Mayer)

Sinfonia Metástase (2000 Texto e Direção: Roberto Alvim

Cabral, que Cara de Pau! (2004/Teatro infantil/Texto: Gedivan de Alburquerque/Direção: Nico Theron)

Sonho de uma noite de São João (2009/Texto e Direção: Anderson Cunha)

Maria Stuart (2009/ Texto: Friedrich Schiller. Direção: Antonio Gilberto)

Pulando a Cerca (2013/2015 Texto: Maurício Silveira/ Dir.Bemvindo Sequeira)

Senhorita Julia e a despedida de si mesma (2014/ Texto: Beto Bellini

Direção: Heitor Saraiva e Beto Bellini)

Na Televisão participa na TV Globo das seguintes novelas:

Paraíso Tropical (2007/Nov. de Gilberto Braga e Ricardo Linhares)

Sete Pecados (2007/08/ Novela de Walcyr Carrasco)

Insensato Coração ( 2011/Novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares)

Trabalha também em outras emissoras:

Preamar (HBO 2012/série)

Os Mutantes: Caminhos do Coração (TV Record/2009/Nov.Tiago Santiago)

Balacobaco (TV Record 2012/13/Novela de Gisele Joras)

No cinema participa dos filmes:

Vereda Tropical (Argentina/Brasil, 2004/Direção: Javier Torre)

Bem Casados (2014/Direção: Aluizio Abranches)

Solteira Quase Surtando (2016/Direção: Caco Souza)

Memórias da Maré (2015/curta metragem/Roteiro e direção: Thais Drassinower)

Participou como ator de várias campanhas publicitárias onde destacam-se os comerciais para Banco Itaú, Cerveja Antártica, Chevrolet, LG, Vivo, Brasas, Banco Bradesco, Brahma e Barra Shopping.

 

Ficha Técnica

Textos: Caio Fernando Abreu

Direção e dramaturgia: Antonio Gilberto

Atuação: Mauricio Silveira

Cenografia e figurinos: Colmar Diniz

Iuminação: Aurélio de Simoni

Preparação Vocal: Rose Gonçalves

Preparação Corporal: Lovie Elizabeth

Fotografias: Guga Melgar

Programação Visual: Guto Miranda

Produção: Bárbara Montes Claros

FacebookTwitterWhatsAppImprimir

Voltar para a listagem de notícias

Coronavírus

CALENDÁRIO DE EVENTOS

ACOMPANHE-NOS

UNIDADES FISCAIS

Fique por dentro dos índices - ver todas

Nenhuma unidade fiscal cadastrada no momento!
Fale Conosco

Versão do sistema: 2.0.0 - 01/07/2022

Portal atualizado em: 01/07/2022 11:06:42

Prefeitura Municipal de Agudos - SP.
Usamos cookies para melhorar a sua navegação. Ao continuar você concorda com nossa Política de Cookies e Políticas de Privacidade.